SOBRE A RIQUEZA DAS CONEXÕES



21 setembro, 2020
Amor

 

APROVEITE suas conexões para desaprender e reaprender coisas novas. Esteja aberto para mudar de opinião, de gosto, de estratégia. Esteja disposto a que o outro transforme você. Não se mantenha naquele chato papel de dono-da-verdade-absoluta, porque seu ego não suporta a ideia de mudar de ideia. Evolua. Dê um passo para fora da sua zona da mediocridade.

 

AME fazer novas conexões. Tenha interesse legítimo no outro diante de você. Faça do servir seu orientador. E comece a exercitar a difícil arte de olhar para além do seu próprio umbigo.

 

FORTALEÇA as conexões que se apresentam diante de você. Entenda quais são as necessidades e sentimentos do outro que o fazem agir como age. Procure não julgar ou rotular. Mas também não seja conivente com o que não concorda. Se achar que está na posição de ajudar, e o outro pedir sua ajuda, o faça da maneira mais respeitosa e sincera.

 

ESCUTE verdadeiramente suas conexões. Não cometa o equívoco prepotente de sempre tentar responder, sem antes entender. Os pressupostos e a história de quem está diante de você o trouxeram até aqui, portanto não queira anular suas ideias, seu

jeito de viver e pensar.

 

SINTA verdadeiramente as conexões. Entenda que nem tudo precisa ser dito. Tente experimentar o silêncio, o olhar nos olhos do outro, o respirar junto. O permanecer ao lado. Vivencie a sutileza de um abraço sem palavras.

 

CELEBRE sempre suas conexões. Divirta-se no processo, no meio do caminho. Ria. Tome café, chá, cerveja com alguém. Ou tome só água. Mas comemore os encontros. Todos são únicos e inéditos.

 

______________________________

LUCIANA GALLO

Luciana Gallo é co-fundadora da Amadoria, facilitadora de processos colaborativos, de desenvolvimento pessoal, e de mudança organizacional. Mentora e palestrante, ajuda as pessoas a (re)significarem suas vidas e trabalhos. Atua na expansão do conhecimento e da consciência da pessoa e do profissional dentro das organizações e das comunidades.

posts relacionados



Amor
Indicação de filme: O menino que desco

Esse filme é baseado em fatos reais, e conta a história de William Kamkwamba,

leia mais +
Amor
Comunicação Não-Violenta: uma forma d

A primeira vez que escutei o termo CNV - Comunicação Não-Violenta - foi em um

leia mais +
Amor
PORQUE VOCÊ DEVE SUBIR UM VULCÃO NO DE

Vendo umas fotos arquivadas, me deparei com essa: a da primeira (e por enquanto

leia mais +

explore as categorias


bem-estar

autoconhecimento

Arte

amor
Quer saber de todas as novidades?
Assine nossa newsletter!
© 2020 Amadoria. Todos os direitos reservados.