Felicidade como prática cotidiana



14 setembro, 2020
Autoconhecimento

Terminei recentemente a leitura de um livro maravilhoso do Matthieu Ricard, chamado Felicidade: a prática do bem-estar.

Esse livro, cuja leitura eu recomendo fortemente, me veio por indicação de uma pessoa muito querida, que foi e tem sido uma inspiração importante para mim no meu desenvolvimento como pessoa.

E esse texto, por sinal, é para dizer sobre uma postura importante e necessária para que encontremos felicidade no caminho e que estejamos comprometidas e comprometidos com o benefício de todos, sempre que possível.

Ainda encontramos muitas receitas e dicas para a tão sonhada felicidade, como se fosse quase como um produto, a ser comprado ali na próxima lojinha de bugigangas. 😊 Muitos nos equivocamos nessa busca, procurando-a nos outros, nos bens materiais, ou nas conquistas esportivas, amorosas, profissionais. Enfim, sempre fora da gente…

Mas a verdade é que a felicidade é relativa e depende do que cada um de nós tem como valor e necessidade afetiva. Eu, por exemplo, esses dias, tive um insight ao perguntar a mim mesma: “o que afinal significa ser feliz para mim?”. Acho que encontrei a resposta. A felicidade, pra mim, é quando encontro paz de espírito, serenidade e bem-estar, sem depender de fatores externos.

Outra coisa que aprendi é que a felicidade é uma prática cotidiana. E nela devemos manter o otimismo, a confiança e a coragem. E principalmente: devemos ser essa luz que leva esperança aos demais. Você já percebeu o fato de que algumas pessoas se comportam como verdadeiras frentes frias no caminho dos demais? Aposto que você nunca tinha pensando nisso… Mas aqueles que mantêm um padrão negativo de pensamento e um pessimismo excessivo, podem provocar amargor e desesperança por onde passam.

A psicologia positiva e o livro tema desse texto comprovam por diversos estudos os benefícios do otimismo. E por favor me entenda: não estou falando de um otimismo irresponsável e sem ações afirmativas que o acompanhem. Afinal, otimismo é acreditar e trabalhar pelo melhor,  manter a perspectiva positiva, mesmo quando as coisas dão errado.

 

“Não nos detenhamos na imagem irreal do otimismo beato. Para além desse clichê com o qual adoramos perturbar os otimistas, oculta-se uma série de qualidades: esperança, determinação, faculdade de adaptação, lucidez, serenidade e força de caráter, pragmatismo, coragem e até mesmo audácia, todas essas encontradas em sukha, a verdadeira felicidade.”

Matthieu Ricard

 

Algumas vezes, acertaremos, noutras falharemos. Vamos sorrir e chorar, é fato. Mas se a gente quiser, não precisa sucumbir à tristeza e nem ficar excessivamente eufórico na alegria. No equilíbrio, na prática do bem-estar, a gente compreende a transitoriedade e o mistério da vida percebendo que a felicidade precisa ser uma prática cotidiana.

Faço votos de que sejamos luz e acolhida, primeiro pra gente mesmo, e depois para os outros corações. E que através da confiança, esperança e determinação, possamos transformar qualquer “frente fria” em uma forte corrente de bem-aventurança!

 

______________________________

CYNARA BASTOS

Cynara Bastos é psicóloga e inspiradora de pessoas, que tem como missão promover a autoconsciência, permitindo que os seres humanos reconheçam seus dons e que possam, por meio deles, gerar riqueza intelectual, espiritual e financeira.

posts relacionados



Autoconhecimento
SER (MADURO) OU NÃO SER... EIS A QUEST

Você é uma pessoa madura?!? Antes de responder essa pergunta com um grande

leia mais +
Autoconhecimento
A DISTÂNCIA ENTRE O QUERER E O FAZER: O

Estava aqui refletindo sobre a distância que a maioria de nós coloca, na maior

leia mais +
Autoconhecimento
Felicidade como prática cotidiana

Terminei recentemente a leitura de um livro maravilhoso do Matthieu Ricard, cham

leia mais +

explore as categorias


bem-estar

autoconhecimento

Arte

amor
Quer saber de todas as novidades?
Assine nossa newsletter!
© 2020 Amadoria. Todos os direitos reservados.