Por que procrastinamos?



6 julho, 2020
Autoconhecimento

Que atire a primeira pedra quem nunca procrastinou! Mesmo que não seja um hábito, todo mundo procrastina de alguma forma ao longo da vida. Mas porque fazemos isso? O que separa a intenção de fazer da ação? E por que, apesar de termos consciência de que se tomarmos determinadas medidas alcançaremos o sucesso, ainda assim não fazemos?

Segundo Tony Robbins, a resposta é simples: “Muito embora saiba que todas essas ações iriam beneficiá-lo, você deixa de agir simplesmente porque, naquele instante, associa mais dor ao ato de fazer o que é necessário do que à perda de oportunidade”.

Temos que aprender a usar dor e prazer para termos controle da nossa vida. Temos que parar de fazer algo só quando a dor de permanecer no mesmo lugar for maior que o prazer obtido com uma ação!

E Robbins ainda nos lembra do poder da decisão na nossa vida: “Você começa a mudar a sua existência no momento em que toma uma nova decisão”. Mas também adverte: “Se não há ação, você não decidiu realmente!”.

Quando começamos a esperar algo externo acontecer para tomarmos uma decisão é sinal de que estamos nos sabotando. Precisamos nos comprometer com a nossa decisão.

Se comprometa a ir para a ação AGORA! Não fique esperando ganhar mais dinheiro, passar a pandemia, seus filhos ficarem maiores ou o presidente mudar para realizar algo. Isso é autossabotagem!

Já parou para pensar que geralmente quando nos comprometemos com o nosso amor, com um amigo ou com os filhos, fazemos de tudo para cumprir? E por que quando nos comprometemos conosco tendemos a enrolar?

Quando alguém se compromete com você e não cumpre, você perde a confiança nessa pessoa. E o que você acha que acontece quando você se compromete a fazer algo para você e não faz? Você se acostuma a não se levar a sério e perde a confiança na sua capacidade de realização. Você pára de se achar capaz. E à medida que isso se repete essa ideia se reforça e se torna uma crença.

Conhecimento é poder, mas sem ação de nada adianta. Por isso, saia da sua zona de conforto!  Hal Elrod, em seu livro “O Milagre da Manhã” diz “faça o que é certo em oposição ao que é fácil”, nos mostrando que a lei do menor esforço não nos leva a lugar nenhum.

Outra armadilha na qual caímos é ficarmos esperando motivação para ir para a ação. Nós não precisamos de motivação para agir. Isso é uma ilusão! Quando nos comprometemos de fato e partimos para a ação, o resultado da ação é que vai trazer essa motivação da qual precisamos. Com isso, carregamos a nossa bateria e renovamos a energia para persistirmos na realização dos nossos objetivos.

Ah, e não podemos esquecer que ter um plano alimenta muito a chance de atingirmos os nossos objetivos. E que por trás do nosso objetivo deve sempre existir um porquê, uma causa que faça o nosso olho brilhar e que tenha sentido para nós.

Depois que esse porquê ficou claro, ponha em prática! Repita várias e várias vezes. A repetição faz o mestre e você não vai se tornar quem deseja ser se não começar hoje!

Por fim, deixo uma frase do ator Will Smith, para refletirmos:

“Deus colocou as melhores coisas da vida do outro lado do medo!”

 

______________________________

ISABELA GALLO

Isabela Gallo é fonoaudióloga, Mestre Reiki, professora e terapeuta floral. Sua missão é despertar o divino nas pessoas e fazê-las aproximarem de sua verdadeira essência.

posts relacionados



Autoconhecimento
SER (MADURO) OU NÃO SER... EIS A QUEST

Você é uma pessoa madura?!? Antes de responder essa pergunta com um grande

leia mais +
Autoconhecimento
A DISTÂNCIA ENTRE O QUERER E O FAZER: O

Estava aqui refletindo sobre a distância que a maioria de nós coloca, na maior

leia mais +
Autoconhecimento
Felicidade como prática cotidiana

Terminei recentemente a leitura de um livro maravilhoso do Matthieu Ricard, cham

leia mais +

explore as categorias


bem-estar

autoconhecimento

Arte

amor
Quer saber de todas as novidades?
Assine nossa newsletter!
© 2020 Amadoria. Todos os direitos reservados.