Indicação de filme: O menino que descobriu o vento



15 outubro, 2020
Amor

Esse filme é baseado em fatos reais, e conta a história de William Kamkwamba, um adolescente de Malawi que se cansa de ver sua família e seus amigos de vilarejo passando por dificuldades. O jovem começa a adquirir conhecimentos cada vez mais diversificados e a desenvolver uma inovadora turbina de vento para benefício da comunidade.

Gostei muito do enredo do filme, já que sou apaixonada por histórias reais que demonstram como a postura diante das adversidades faz toda a diferença na história que escrevemos sobre as nossas vidas.

Interessante perceber como as realidades culturais, sociais e econômicas moldam o nosso imaginário e a forma com que agimos diante dos desafios que nos são apresentados.

Se por um lado o filme mostra uma história de resiliência e antifragilidade, por outro escancara a desigualdade entre países. Muito triste vermos em pleno século XXI cidades e vilarejos sem energia elétrica e água potável, uma realidade também no nosso país.

“O menino que descobriu o vento” demonstra como o inconformismo e a boa vontade são molas propulsoras para solucionar problemas e mudar a realidade de um sistema. Interessante também observar como o estudo é um valor para a família do menino, pois o pai deposita todas as suas esperanças e economias na educação de seu filho caçula. Propósito que é drasticamente frustrado por revezes climáticos que acabam com a lavoura dos agricultores do vilarejo. Sem dinheiro, o pai se vê obrigado a tirar o filho da escola.

Mesmo com esse cenário desolador, o jovem William é atento e curioso, une os seus poucos anos de estudo, e com o apoio de um professor,  decide construir turbina eólica artesanal para gerar energia que irá bombear água para irrigar as plantações.

Com recursos e conhecimentos escassos, o menino enfrenta uma verdadeira jornada de problemas para vencer a fome, o acesso a escola, a violência e os problemas familiares para criar do zero a tecnologia que salvou a vida daquela comunidade.

Analisando os aspectos comportamentais de William, o filme retrata uma força de personalidade consistente e madura, que coloca a serviço do outro todos os seus saberes e habilidades.

Mesmo sendo tão jovem, o menino se colocou prontamente disponível a honrar os valores cultivados e aprendidos pela sua família. Enfrentou o posicionamento do pai, da escola, da liderança da comunidade. Ele pagou o preço para expressar a sua autoralidade.

Quantas vezes nos vemos em situações assim e nos acovardamos mediante nossos medos de críticas e julgamentos?

Esse filme nos ajuda a olhar nossos níveis de reclamação, quando em vários momentos da vida temos recursos, oportunidades e possibilidades e ainda assim ficamos presos no problema, nos lamentando sobre o não atendimento das nossas expectativas pueris.

Se nos espelharmos na postura do protagonista do filme, perceberemos que sempre dá para fazer mais com o que se tem, e que o vitimismo não nos ajuda a criar absolutamente nada.

Filme mais do que recomendado, que está disponível na plataforma Netflix. =)

 

______________________________

ALINNE FERREIRA

Alinne Ferreira, é empreendedora, orientadora profissional e terapeuta sistêmica de Constelação Familiar e Organizacional. Trabalha há 20 anos com educação profissional e corporativa. Ajuda às pessoas se encontrarem no mundo do trabalho, para fazerem mais e melhor.

posts relacionados



Amor
Indicação de filme: O menino que desco

Esse filme é baseado em fatos reais, e conta a história de William Kamkwamba,

leia mais +
Amor
Comunicação Não-Violenta: uma forma d

A primeira vez que escutei o termo CNV - Comunicação Não-Violenta - foi em um

leia mais +
Amor
PORQUE VOCÊ DEVE SUBIR UM VULCÃO NO DE

Vendo umas fotos arquivadas, me deparei com essa: a da primeira (e por enquanto

leia mais +

explore as categorias


bem-estar

autoconhecimento

Arte

amor
Quer saber de todas as novidades?
Assine nossa newsletter!
© 2020 Amadoria. Todos os direitos reservados.